Fabio dos Santos

Como filho de músicos, tive oportunidades que só vim a entender muito depois que escolhi ser músico. Lembro-me de instrumentos, músicos e música em casa: no rádio, nos concertos, nas visitas e nas aulas que aconteciam em casa regularmente. Vi meus pais praticarem e trabalharem todos os dias. Lembro-me de vários jantares domingueiros quando sentávamos ao piano para cantar acompanhados. Algumas de minhas visitas semanais às aulas de piano terminavam com as mãos roxas das amoras que cresciam na frente do ponto de ônibus que me levava de volta para casa. Lembro-me também das aulas de violino em grupo que aconteciam com meus amigos do grupo escoteiro, que frequentei por muitos anos na adolescência.

Cresci aprendendo a amar o som, mas sem me dar conta o quanto era extraordinário ter tantas pessoas para compartilhar dele e me ensinar a fazê-lo. Foi num de meus primeiros cursos de capacitação da Metodologia Suzuki que vim a compreender que o que eu vivi foi um ambiente musical, como explica Suzuki: “O homem é filho do seu ambiente!”. Ensinar música e ensinar a tocar o violino é uma das formas que posso compartilhar tudo o que aprendi.

Acredito que podemos transformar o mundo com o poder dessa ideia de que: as crianças são dotadas de um potencial inimaginável, e que nós, como adultos, temos apenas que ser responsáveis por fomentar, nutrir, amar e compartilhar desse ambiente com elas.

 

Leonardo Oliveira

Como filho de professores, sempre estive em contato com o contexto de ensino e aprendizagem.

Desde muito novo o fazer musical conquistou um espaço importante em minha vida. Esse envolvimento sempre foi nutrido pelo apoio de meus pais e isso fez uma grande diferença em meu desenvolvimento integral.

Tomando como base minha experiência pessoal acredito que todas as pessoas deveriam ter oportunidades para desenvolver sua sensibilidade na área musical.

O fazer musical proporciona descobertas que certamente justificam sua existência em nossa humanidade e é justamente essa prática que buscamos oferecer aos nossos alunos.

A primeira vez que tive contato com o ensino de música por meio da Filosofia Suzuki foi muito emocionante. Nunca tinha visto crianças que estavam tão contentes tocando e atentas ao som produzido. Como professor de música, meu olhar converge com essa metodologia. A intimidade que as crianças constroem com a linguagem da música ainda hoje me surpreende.

Sabemos das potencialidades infinitas do ser humano e certamente o trabalho realizado no Centro Suzuki é um grande referencial para o ensino e a aprendizagem de música e formação de pessoas em todo o país.

Deixe uma resposta